Papos Aleatórios
Departamento de Estatística
UFPR

Última atualização: 9. Março 2005

Introdução

A série Papos Aleatórios é uma programação de seminários informais do Departamento de Estatística - UFPR.

O objetivo é discutir temas de estatística de relevância para professores do Departamento, alunos do curso e demais interessados.

A programação é não regular, ou seja os Papos Aleatórios podem ser marcados em qualquer data. A programação aberta a qualquer pessoa interessada.
A divulgação se dará por meio desta home-page e será anunciada na lista dos professores do Departamento.

Tipicamente uma pessoa apresenta um tema (aproximadamente 1/2 hora) que na sequencia é discutido pelos presentes.
O tema é livre e alguns exemplos típicos são: discussão de artigos selecionados, discussão de projetos de pesquisa, discussão de trabalhos do laboratório e/ou consultoria estatística.

Programação

Próximos Papos

    Aguardem !

Papos Anteriores

Papo 11
Sobre métodos estatísticos para amostragem complexa

Papo 10
Olhando de perto a estimação do processo LSTAR(1)
Os modelos LSTAR(1) são utilizados para a modelagem de séries temporais que apresentam diferentes regimes autoregressivos ao longo do tempo e uma transição suave entre eles, governada pela função logística. Será proposta uma discussão sobre as propriedades dos estimadores do processo LSTAR(1), especialmente para situações em que há uma quantidade pequena de pontos observados nos regimes.

Papo 09
Introdução ao Octave
O programa computacional Octave é uma ótima alternativa gratuita para quem já é adepto do programa Matlab. Ele possibilita de maneira rápida e fácil a resolução e plotagem de problemas de cunho matemático extremamente braçais tais como operações matriciais construção de gráficos, simulações, programação, etc...

Papo 08
Detectando Padrões Espaciais na Mancha Preta dos Citrus
Serão apresentados resultados de análises da evolução da doença Mancha Preta dos Citrus em um pomar no Município de Luiz Antônio, SP. Foram utilizadas técnicas exploratórias como a função-K, variogramas e alisamentos bidimensionais para evidenciar o padrão espacial. Utilizou-se ainda Campos Aleatórios Gaussianos, com inferência via MCMC para modelar a incidência da doença em frutos e árvores.

Papo 07
Geoprocessamento Ambiental Com Tratamento De Incerteza: O Caso Do Zoneamento Pedoclimático Para A Soja No Estado De Santa Catarina - Parte 2: Análise Numérica, Aferição dos Resultados e Conclusão
Ver resumo no papo anterior.

Papo 06
Geoprocessamento Ambiental Com Tratamento De Incerteza: O Caso Do Zoneamento Pedoclimático Para A Soja No Estado De Santa Catarina - Parte 1: Contextualização e Análise Categórica
No ambiente de Sistemas de Informações Geográficas, com raríssimas exceções, nenhuma informação quantitativa sobre a qualidade dos produtos gerados é agregada ao produto final. Neste contexto, este estudo aborda a modelagem de propriedades e processos do meio físico natural com a geração de informações quantitativas das incertezas associadas aos cenários produzidos pelas modelagens, que utilizam análise integrada de dados espaciais em meio digital. O estudo de caso apresentado é baseado no Projeto Zoneamento Pedoclimático do Brasil, aplicado para a cultura da soja no Estado de Santa Catarina. São sugeridas três modificações na metodologia original de integração de dados deste projeto. Estas modificações correspondem à consideração da aptidão climática como um conceito dinâmico, à modelagem dos atributos definidores da aptidão pedoclimática por técnicas da krigeagem por indicação e à aferição dos resultados encontrados por informações adicionais de controle, relacionadas à produtividade da soja. Com a modelagem por krigeagem por indicação, foi possível modelar atributos categóricos e numéricos, possibilitando em ambos os casos uma estimativa para uma medida espacial de incerteza associada a cada propriedade modelada. As representações obtidas nas modelagens foram integradas e as respectivas incertezas propagadas, obtendo-se no final de todo o processo de análise espacial uma representação de aptidão pedoclimática categórica e outra numérica, assim como as incertezas relativas a estas representações. Na análise dos resultados, por uma avaliação das incertezas estimadas e dos resultados encontrados na aferição, foi possível avaliar tantos os dados iniciais que formaram os conjuntos amostrais no processo de modelagem, quanto a própria metodologia de zoneamento.

Papo 05
Modelagem De Dados Longitudinais Aplicada A Um Estudo Aleatorizado Do Efeito Da Vitamina A Na Diarréia Infantil
Este trabalho tem como objetivo investigar o efeito da suplementação de vitamina A na diarréia infantil através de modelos de análise de dados longitudinais, utilizando dados coletados em um ensaio comunitário placebo-controlado aleatorizado de uma coorte de 1240 crianças durante um ano. A comparação da gravidade e da prevalência da diarréia entre os grupos foi elaborada através dos modelos marginais e dos modelos de efeitos aleatórios. Basicamente, os modelos marginais foram utilizados como uma análise descritiva dos dados, pois a alta heterogeneidade entre as crianças não permitiu um bom ajuste. Os modelos de efeitos aleatórios foram ajustados para lidar com esta alta variabilidade resultando em um efeito protetor da vitamina A no número diário de dejeções líquidas ou semi-líquidas e na probabilidade diária de ter diarréia. Também foi demonstrado uma tendência decrescente do efeito da suplementação e uma interação do tratamento ao longo do tempo. Este trabalho ilustrou como abordagens alternativas de modelagem longitudinal podem ser usadas em conjunto para fornecer visões complementares de diferentes aspectos de medidas repetidas de contagem, refinando possíveis inferências de uma simples análise das medidas de resumo.

Papo 04
Epidemiologia da Mancha Preta dos Citrus
Serão apresentados aspectos biológicos e análises preliminares da doença Mancha Preta dos Citrus em um pomar no Município de Luiz Antônio, SP.

Papo 03
Um estudo sobre a concentração industrial no Paraná
A partir da década de 70, o Paraná sofreu grandes transformações em sua base economica e concequentemente na sua composição industrial. Uma das característricas mais marcantes a partir deste período foi a concentração industrial em torno da Região Metropolitana de Curitiba. O objetivo do trabalho, é utilizar uma metodologia para mensurar o nível de concentarção da indústria no Estado, e realizar comparações entre os perídos de 70, 85 e 2000.

Papo 02
Modelagem espacial para dados de incidência de doenças
A incidência de uma determinada doença em plantas, definida como o número ou a proporção de unidades de plantas doentes, em que as unidades podem ser as folhas, os ramos ou as plantas inteiras, é uma medida da intensidade da doença em sistemas agrícolas e naturais. Geralmente, tem-se interesse direto no estudo da incidência de doenças, pois isso permite aos pesquisadores estabelecerem padrões espaciais e temporais de uma determinada doença. Para caracterizar esse padrão espacial, diferentes métodos têm sido utilizados, dentre os quais incluem-se o ajuste de distribuições, como, por exemplo, a distribuição beta-binomial, a dados provenientes de quadrats e o estudo da relação variância-média para esses dados, sendo esta relação freqüentemente estabelecida pela lei de potência binária, o cálculo de correlação intraclasse, a utilização de técnicas de autocorrelação espacial, métodos geoestatísticos e métodos de classes de distâncias. Pretende-se neste estudo determinar condições sob as quais a lei de potência binária pode ser utilizada e efetuar uma revisão detalhada sobre modelos espaciais relacionados a dados binários, que sejam relevantes para estudos de Fitopatologia. Além disso, serão simulados dados de incidência de doenças, que representem condições biologicamente reais, de tal forma que a relação variância-média não esteja de acordo com a lei de potência binária, visando, assim, a proposição de modelos diferentes. Como uma aplicação a dados reais, serão analisados dados referentes à incidência de cancro cítrico, que foram coletados na região norte do Estado de São Paulo, Brasil, utilizando-se a lei de potência binária e métodos geoestatísticos, como semivariograma e função K de Ripley.

Papo 01
Modelos autologisticos para epidemiologia de plantas
Será apresentado e discutido o artigo Autologistic model of spatial pattern of Phytophthora epidemic in bell pepper: effect of soil variables on disease presence. Cópias do artigo podem ser obtidas na secretaria do Depto.